logomarca cybercook

Chá tibetano

Enviar fotos

Atenção: Imagens retiradas da internet possuem direitos autorais e estarão sujeitas a remoção caso seja comprovada a devida autoria. Dúvidas? Consulte nossos termos de uso.

Ingredientes (3)



Preparo

  1. 1.
    Para preparar o chá que será realmente bebido, os tibetanos fervem água limpa em uma chaleira e adicionam um pouco do “chaku” à essa água fervente. Ainda com a água muito quente, adicionam leite de iaque, sal e manteig de leite de iaque. A seguir, colocam a bebida em algum recipiente para que possa ser batida. Em tempos mais modernos é comum usar-se um liquidificador, mas tradicionalmente a bebida é colocada em “batedores manuais de manteiga” ou churn (veja a foto abaixo).
  2. 2.
    O chá precisa ser muito bem batido, os ingredientes tem se misturar completamente e o chá ficar espumante. O chá é servido muito quente.
O sabor dessa bebida é rústico e estranho ao paladar não-oriental. Muitas vezes adiciona-se especiarias ao chá - gengibre, canela, cravo - e serve-se o chá acompanhado de pão com manteiga. A bebida é muito usada devido às baixas temperaturas no Tibet, o leite e a manteiga auxiliam a manter o corpo aquecido e alimentado. Os tibetanos não tiveram permissão dos chineses para produzir chá em “tijolos” até 2002, quando finalmente foram autorizados a abrir sua própria fábrica de tijolos de chá para resolver um problema sério de saúde pública. A população do Tibet estava apresentando sinais de fluorite, uma doença causada por acúmulo de flúor nos ossos, que debilita e danifica a ossatura. Pesquisadores e médicos analisaram a água, o solo, o leite do iaque e não encontravam a fonte do excesso de flúor que estava sendo ingerido pelos tibetanos, até que decidiram analisar o chá. O processo de fervura do chá em tijolos para fazer o “chaku” faz com que o flúor contido no chá se precipite e concentre em quantidades acima do que seria saudável consumir. A partir dessa descoberta, a China autorizou o Tibet a fabricar os tijolos de chá para seu próprio consumo, preparados especialmente para serem fervidos longamente, como é a tradição cultural local. ADOREI.

Vídeo recomendado

Você pode gostar...

Torta de salsicha de liquidificador

Torta de salsicha de liquidificador

Por irginia Vicente Bicineri

Bolo Salgado de Salsicha

Bolo Salgado de Salsicha

Por Maristela Kern

X-Salada

X Salada

Por CyberCook

Bolinha de Queijo

Bolinha de Queijo

Por Thais Cappellano

⁠⁠⁠⁠

Comentários (3)

HAROLDO TEODORO

QUE RECEITA INTERESSANTE. GOSTO DOS SABORES FORTES.

gracia teodoro

DELICIOSO E EXÓTICO ESSE CHÁ.

CLÁUDIO GONTIJO

O sabor dessa bebida é rústico e estranho ao paladar não-oriental. Muitas vezes adiciona-se especiarias ao chá - gengibre, canela, cravo - e serve-se o chá acompanhado de pão com manteiga. A bebida é muito usada devido às baixas temperaturas no Tibet, o leite e a manteiga auxiliam a manter o corpo aquecido e alimentado. Os tibetanos não tiveram permissão dos chineses para produzir chá em “tijolos” até 2002, quando finalmente foram autorizados a abrir sua própria fábrica de tijolos de chá para resolver um problema sério de saúde pública. A população do Tibet estava apresentando sinais de fluorite, uma doença causada por acúmulo de flúor nos ossos, que debilita e danifica a ossatura. Pesquisadores e médicos analisaram a água, o solo, o leite do iaque e não encontravam a fonte do excesso de flúor que estava sendo ingerido pelos tibetanos, até que decidiram analisar o chá. O processo de fervura do chá em tijolos para fazer o “chaku” faz com que o flúor contido no chá se precipite e concentre em quantidades acima do que seria saudável consumir. A partir dessa descoberta, a China autorizou o Tibet a fabricar os tijolos de chá para seu próprio consumo, preparados especialmente para serem fervidos longamente, como é a tradição cultural local.

Lanches